Guará

Eudocimus ruber

Scarlet Ibis

 

Ameaçada de extinção (SP)

 

Atualização 18/1/2009

 

Distribuição Geral

 

Típico dos manguezais da costa atlântica setentrional da América do Sul. Há no Brasil duas populações disjuntas, do norte e do sul. Antigamente distribuía-se no litoral brasileiro até SC.

 

Distribuição no Estado de São Paulo

 

Após um largo período sem serem registrados no estado, em 1982 os guarás foram novamente observados no litoral paulista (Cubatão). Este grupo vem sendo estudado por diversos pesquisadores, desde então. (Argel-de-Oliveira et al 1993; Bokermann 1987, 1990; Lago-Paiva 1994; Marcondes-Machado et al 1989; Marcondes-Machado & Monteiro-Filho 1989; 1990; Sick 1997). A espécie não era registrada em SP desde o século XVI.

Os reais motivos do desaparecimento da espécie no estado ainda não estão esclarecidos. Segundo Fábio Olmos (Ornitobr), a espécie pode ter desaparecido por pressão de caça no passado, quando as populações humanas nas áreas de ocorrência da espécie eram maiores. Mudanças nos padrões das atividades econômicas dessas populações fizeram com que abandonassem essas áreas, permitindo o recrudescimento das populações de guarás.

A espécie vem apresentando uma expansão no estado, rumo ao sul, já tendo sido registrada em Itanhaém, Juréia, Iguape e Ilha Comprida e há notícias de já ter alcançado o norte do estado do Paraná (Guaraqueçaba).


Populações

 

As populações têm apresentado um rápido crescimento, com a colonização das novas áreas.

 

Ecologia

 

O habitat preferido são os manguezais.

Forrageia na água rasa, onde busca caranguejos, caramujos e insetos. O alimento básico são os pequenos caranguejos com o "chama-maré" ou "sarará", Uca sp, e o "maraquani", abundantes na zona intertidal. (Sick 1997)

Sempre em bandos, para dormir e nidificar procuram vegetação densa, como os extensos manguezais (Rhizophora), aturizais (Macherium lunatum) e siriubais (Avicennia). Os pousos e ninhais podem estar a 60-70 km de distância da área de forrageamento. (Sick 1997)

 

Ameaças

 

A degradação dos manguezais é a principal ameaça. Também a caça e a pilhagem dos ninhos. As aves são mais vulneráveis quando estão se reproduzindo.

 

Medidas tomadas

 

Há legislação específica protegendo os manguezais.

 

Medidas propostas

 

Nível de ameaça

 

São Paulo (1998): Criticamente em Perigo.

 

Preservação ex-situ