Taoniscus nanus

carapé

Dwarf Tinamou

 

Ameaçada de extinção (SP)

 

Atualização 28/4/2011

 

Wikiaves

A menor espécie de tinamídeo brasileiro e um dos menos conhecidos. O pequeno porte e o desconhecimento até recentemente de sua vocalização, dificulta sua identificação em campo.

Distribuição Geral

Conhecida com certeza apenas de uma área relativamente pequena do Brasil central, onde foi descoberta na década de 60; de algumas localidades isoladas do sudeste e de duas peles da Argentina.

Alguns autores, baseados na suposição de que a ocorrência da espécie fosse contínua, exageraram a área de sua possível ocorrência (Silveira 1967, Teixeira e Negret 1984). Assim, um mapa em uma destas obras (Silveira 1967), estende o limite sul da distribuição vários quilômetros além dos registros. É possível também que a espécie tenha desaparecido nas áreas mais ao sudeste de sua distribuição e seu status no Brasil central ainda deve ser esclarecido.

Distribuição no Estado de São Paulo

Municípios com registro histórico.

Populações

Já há 50 ou 100 anos atrás era considerada "uma das aves neotropicais mais raras" (Hellmayr and Conover 1942). Outros autores acreditam que ela pode ser menos rara do que parece, em função da dificuldade em sua detecção, uma vez que se esconde no capim e voa apenas quando já está para ser pisada (Teixeira e Negret 1984, Collar et al 1991). Entretanto, a extensa conversão de seu habitat natural em áreas de agricultura faz crer que a espécie esteja realmente em franco declínio (Teixeira e Negret 1984).

Ecologia

Habita cerrados e campos sujos (Andrade 1998). Também "florestas de galeria, savanas e cerrados" (Silveira 1967, 1968). de Azara (1802-1805) relata sua ocorrência em "campos muy cerrados de broza y pasto alto y espeso". Teixeira e Negret (1984) só viram indivíduos isolados ou pares e mencionam como habitat cerrado e campo sujo, este último definido como arbustos menores de 2 metros esparsos em campo denso de Gramineae (Axonopus, Echinolaena, Paspalum, Panicum e Schizachyrium). Estes autores observaram as aves mais frequentemente (não por uma preferência de habitat, mas por facilidade de observação) em vegetação aberta, recentemente queimada e ao longo de caminhos. Tudo indica tratar-se de uma espécie especialista de campo sujo. Um espécime na Reserva do IBGE, Brasília, em novembro de 1982, estava em campo limpo a 1.000 metros de altitude. Uma ave foi observada em Minas Gerais cruzando uma estrada em um cerrado parcialmente limpo, invadido por gramíneas (G. T. Mattos, verb 1987 apud Collar et al. 1992).

Na Fazenda Carneiro, a espécie foi observada no campo limpo. O conteúdo estomacal e papo continham sementes (von Pelzeln 1868-1871). Em outro lugar foi relatado que a espécie ocupa a maior parte de seu tempo procurando pequenos artrópodes em meio à vegetação (bicando em ninhos de térmitas Proconitermes araujoi para capturar os insetos que aparecem) e sementes de gramíneas (Teixeira e Negret 1984). de Azara (1802-1805) manteve por pouco tempo uma ave que se alimentava apenas de aranhas.

Um adulto com dois pequeninos filhotes foi visto em outubro (Teixeira e Negret 1984). Machos de Itararé, coletados em janeiro e março, eram "jovens" (von Pelzeln 1868-1871). Mesmo um de janeiro era juvenil (C. G. Violani in litt. 1987 apud Collar et al. 1992; Teixeira & Nacinovic 1990).

Ameaças

A principal ameaça é a destruição dos campos tanto do sudeste (São Paulo e Paraná) quanto do planalto central do Brasil, em função basicamente da expansão das áreas de agricultura. (vide também AMEAÇAS sob Nothura minor). Estas aves são também prejudicadas por queimadas extensivas, quando podem também ser predadas por falconiformes ao fugirem do fogo (Teixeira e Negret 1984). No passado pode ter sido perseguida por caçadores (Andrade 1998b).

Medidas tomadas

Indicada uma área-chave para sua preservação no Estado (Wege & Long 1995).

Vide Medidas Tomadas sob Nothura minor um trabalho de preservação em Itapetininga.

Medidas propostas

Trabalhos de campo visando a detecção da espécie em outras localidades. Controle de queimadas e outras intervenções em áreas de ocorrência ou possível ocorrência.

Iniciar a criação em cativeiro (Andrade 1998b).

Preservação ex-situ

É desconhecida sua criação em cativeiro.