Bachianas Brasileiras No. 5 - Dança (Martelo) - Heitor Villa Lobos

Irerê, meu passarinho

Do sertão do cariri,

Irerê, meu companheiro,

Cadê viola?

Cadê meu bem?

Cadê maria?

Ai triste sorte a do violeiro cantadô!

Sem a viola em que cantava o seu amô,

Seu assobio é tua flauta de irerê:

Que tua flauta do sertão quando assobia,

A gente sofre sem querê!

 

Teu canto chega lá do fundo do sertão

Como uma brisa amolecendo o coração.

 

Irerê, solta teu canto!

Canta mais! Canta mais!

Pra alembrá o cariri!

 

Canta, cambaxirra!

Canta, juriti!

Canta, irerê!

Canta, canta, sofrê!

Patativa! Bem-te-vi!

Maria-acorda-que-é-dia!

Cantem, todos vocês,

Passarinhos do sertão!

 

Bem-te-vi!

Eh sabiá!

Lá! Liá! liá! liá! liá! liá!

Eh sabiá da mata cantadô!

Lá! Liá! liá! liá!

Lá! Liá! liá! liá! liá! liá!

Eh sabiá da mata sofredô!

 

O vosso canto vem do fundo do sertão

Como uma brisa amolecendo o coração.