O que cada um pode fazer para proteger as aves

1. Mantenha seus gatos dentro de casa. Nunca solte gatos ou outros animais domésticos em parques e outras áreas públicas. Eles são grandes predadores de aves e outros animais silvestres e causam problemas de saúde.

2. Aproveite todo espaço disponível de sua propriedade para plantar o maior número possível de vegetais que servem de alimento e abrigo para aves. O Programa Jardim Ecológico do CEO dá várias dicas de como fazer isto, mesmo na sacada de um apartamento. Se tiver propriedades maiores, principalmente rurais, respeite a exigência da Reserva Legal (parcela da propriedade onde devem ficar preservados os habitats naturais), além das áreas de preservação permanente, tais como topos e encostas de morros, entorno dos rios e lagoas, nascentes, etc. Faça reflorestamentos utilizando espécies vegetais nativas da região. Não permita a caça ou qualquer outra forma de perseguição à fauna em tua propriedade.

3. Desestimule a prática de manter animais silvestres em cativeiro como animais de estimação. Está comprovado que muitas extinções ou ameaças de extinção de espécies se deu por sua captura na natureza. Aprenda a admirá-los em liberdade. Alie-se à Campanha Permanente Lugar de Animal Silvestre é na Natureza, do CEO. Denuncie aos órgãos competentes o tráfico de animais silvestres.

4. Se tua residência tem grandes vidraças onde as aves colidem e morrem ou ficam feridas, coloque nelas silhuetas de falcões, que servem para espantar as aves evitando as colisões. Utilize se necessário os falcões do CEO.

5. Se é proprietário de áreas com remanescentes de hábitats naturais, verifique a possibilidade de constituir estas áreas como Reserva Particular do Patrimônio Natural, que é uma modalidade de unidade de conservação constituída pelo próprio proprietário e aprovada pelo IBAMA ou órgão ambiental estadual. Há diversas vantagens neste procedimento além da preservação. 

6. Filie-se a entidades ornitológicas e ambientalistas onde poderá contribuir para a preservação da natureza em geral e das aves em particular. Uma organização congregadora de entidades ambientalistas é a Rede de ONGs da Mata Atlântica. Organize entidades ornitológicas em sua cidade ou Estado.

7. Abomine a prática da caça, em especial a dita "esportiva". Não faz o menor sentido matar animais silvestres apenas para satisfazer um gosto ou um orgulho pessoal. Nos dias de hoje não se justifica nem mesmo a chamada caça de subsistência a não ser em situações excepcionais. A munição é mais dispendiosa que o próprio alimento! Convença amigos e conhecidos caçadores a trocarem o gosto pela caça pela simples contemplação da natureza: observação de aves, "savari fotográfico", filmagens, etc.

8. Ajude a proteger as Unidades de Conservação. Ao visitá-las seja um fiscal da natureza. Denuncie às autoridades responsáveis e às entidades ambientalistas da região e mesmo nacionais qualquer agressão aos processos ecológicos naturais que observar. Comporte-se "ecologicamente" ao visitar as áreas naturais: não vá com excesso de pessoas; não deixe nenhum lixo, por menor que seja; não colete absolutamente nada, seja material biológico ou inanimado, sem autorização da autoridade ambiental; não deixe nenhuma marca de tua presença a não ser as inevitáveis pegadas. Se for com alguma empresa de turismo dito "ecológico", exija dos guias e responsáveis pela empresa estas mesmas coisas. No estado de São Paulo, caso observe sinais de caça ou captura de animais silvestres, comunique ao COTEC. Veja um roteiro sugerido para avaliar as condições de preservação e impactos em áreas protegidas. 

9. Participe das Associações de Amigos de Parques. Exija que os administradores destes parques façam o Plano de Manejo para o parque e que este inclua as necessárias medidas para a preservação da biodiversidade dos parques, por menores que eles sejam.

10. Patrocine programas de preservação de aves. Diversos programas de preservação de espécies de aves ameaçadas de preservação são executados pela SAVE Brasil.