Histórico do CEO

Atualizado em 17/6/2017

 

O CEO foi fundado em 29 de setembro de 1984, em uma reunião no Anfiteatro Geral do Edifício Ernesto Marcus, do Instituto de Biociências da Universidade de São Paulo, organizada pela Professora Liliana Forneris, do Departamento de Zoologia, tendo também participado outras cinco pessoas com interesse na criação de uma entidade destinada a congregar interessados em ornitologia e observação de aves. São associados fundadores do CEO:

Liliana Forneris

Luiz Fernando de Andrade Figueiredo

Marcelo Teixeira Cesar de Oliveira

Maria Aparecida Visconti

Maria Martha Argel-de-Oliveira

Pablo Garcia Carrasco

 

No dia 10 de agosto de 1985, foi aprovado o Estatuto do CEO, registrado em 21 de outubro de 1986 no Registro Civil de Pessoas Jurídicas - 4° Ofício, Cartório Medeiros, São Paulo. Em 4 de dezembro de 1986 o CEO obteve registro junto à Secretaria da Receita Federal.

 

São Associados Honorários do CEO o Dr. Hélio Ferraz de Almeida Camargo, biologista aposentado do setor de aves do Museu de Zoologia da USP, a Profa. Liliana Forneris, do Departamento de Zoologia do Instituto de Biociências da USP e Rolf Grantsau, ornitólogo.

 

Em parceria com outras instituições o CEO tem promovido desde 1985, Cursos de Observação de Aves, destinados a despertar o interesse das pessoas em geral pelas aves e pela sua preservação, introduzindo uma nova modalidade de vivência com a natureza.

 

No período de 21 de setembro a 6 de outubro de 1991 o CEO participou da “X Festa da Primavera”, promovida pelo Departamento de Parques e Áreas Verdes - DEPAVE, da Prefeitura de São Paulo, no Parque Ibirapuera. Em seu stand o CEO desenvolveu duas atividades: “Criança: desenhe uma ave” e “Jardim Ecológico”. Na primeira atividade, crianças visitantes fizeram em torno de 1300 desenhos de aves. Na segunda atividade foram dadas orientações sobre como criar condições para a sobrevivência das aves nos jardins e quintais.

 

Com o apoio da Prefeitura da Estância Turística de Embu, o CEO lançou em outubro de 1994 o “Programa Jardim Ecológico”, que objetiva orientar os cidadãos a criarem em suas residências “miniestações ecológicas”, ampliando as condições de sobrevivência de plantas e animais, em especial das aves. O Programa visa desestimular a criação de animais silvestres como animais de estimação, mostrando que as pessoas podem ter em casa, ao invés de simples “pets”, verdadeiros ecossistemas. Pretende-se também que este seja um ponto de partida para uma militância ambientalista “de bairro”. O Programa já editou as apostilas “Como atrair aves para o Jardim Ecológico” e “Plantas que atraem aves”.

 

Também com o apoio da Prefeitura da Estância Turística de Embu o CEO realizou no período de 17 a 23 de outubro de 1994 o “Festival Mundial da Aves em Embu”, acompanhando o segundo “Festival Mundial da Aves” que tem sido promovido anualmente a nível internacional pela BirdLife International.

 

Comemorando os seus 10 anos de existência, o CEO promoveu no período de 5 a 9 de outubro de 1994, com o apoio da Comissão de Cultura e Extensão Universitária da USP, o Seminário: “A destruição da avifauna e as alternativas de preservação no Brasil” onde foram realizadas conferências por Luiz Antonio Pedreira Gonzaga, ornitólogo da Universidade Federal do Rio de Janeiro (“Estudos ornitológicos e a conservação da avifauna no Brasil”), Antonia de Ávila Vio, do IBAMA (“Unidades de Conservação no Brasil”), e o Deputado Fábio Feldmann (“Política de Meio Ambiente e a Biodiversidade”). Também foi discutida a questão do tráfico de aves no Brasil e relatadas experiências de reintegração de animais silvestres ao habitat, por representantes de Centros de Triagem de Animais Silvestres.

 

Manifestação do Dr. Hélio Ferraz de Almeida Camargo, presidente do CEO.

 

 

Palestra de Luiz Antonio Pedreira Gonzaga.

Parte 1

   

Parte 2

 

 

As atividades do CEO foram relacionadas no item “Mostras” da publicação USPServiços, da CECAE - Coordenadoria Executiva de Cooperação Universitária e de Atividades Especiais (Publicação EDUSP, 1994), a qual também faz referência ao Boletim CEO no item “Publicações”.

 

No dia 7 de outubro de 1995 o CEO participou do Festival Mundial das Aves/95 promovido pela BirdLife International, que teve como tema internacional a “Conservação dos habitats das aves”, realizando um evento que teve o tema local: “SOS Reserva da Biosfera do Cinturão Verde da Cidade de São Paulo”. O evento realizou-se no Auditório da CETESB, gentilmente cedido pela Secretaria de Meio Ambiente do Estado de São Paulo e contou também com a participação de outras entidades ambientalistas com atuação na região da Reserva da Biosfera do Cinturão Verde, as quais mostraram problemas ambientais de sua região e propostas de soluções.

 

Em dezembro de 1995 o CEO lançou o projeto “Aves ameaçadas de extinção do Estado de São Paulo”, que visa monitorar as populações das 38 espécies de aves ameaçadas no Estado, bem como verificar a situação de proteção das “áreas chave” propostas como prioritárias para preservação destas espécies pela BirdLife International, (segundo a publicação “Key areas for threatened birds in the Neotropics”), sugerindo e participando de programas específicos de preservação destas áreas.

 

De 3 a 9 de junho de 1996, o CEO participou da Semana do Meio Ambiente, promovida pelo Projeto “Revitalização do Parque da Água Branca”, em São Paulo, SP. Nos dias 3 a 5, o CEO recebeu classes de alunos do primeiro grau, para as quais foi exibido o material da campanha do WWF contra o tráfico de animais silvestres. Também foi apresentado o Programa Jardim Ecológico, como uma alternativa à manutenção de animais silvestres em cativeiro. Em seguida as crianças participaram de um concurso de desenhos de aves. Até o final do evento as crianças fizeram 370 desenhos. Os lemas da participação do CEO na Semana do Meio Ambiente foram: “Troque seu animal silvestre aprisionado por muitos em liberdade em um mini-ecossistema” e “Lugar de animal silvestre é na natureza”. Por ocasião deste evento o CEO foi convidado pela coordenação do Projeto Revitalização do Parque da Água Branca a apresentar um projeto de implantação de um jardim ecológico no Parque.

 

Em julho de 1996 começou a ser desenvolvido o projeto “Implantação do Jardim Ecológico do Parque da Água Branca” com orientação técnica do Centro de Estudos Ornitológicos e apoio operacional do Projeto Revitalização do Parque da Água Branca e participação da Associação de Amigos Ambientalistas do Parque da Água Branca. Foi implantado um jardim ecológico na área correspondente à nascente e ao seu lado foi construído um observatório de aves onde foram instaladas fotos com dados básicos sobre as aves do Parque e orientações sobre como fazer um jardim ecológico.

 

Em 1996 dentro das atividades do “Programa Jardim Ecológico”, o CEO elaborou a apostila “Plantas que atraem aves”, onde são dadas orientações para a utilização de aproximadamente 390 espécies de plantas de importância biológica para aves.

 

No dia 5 de outubro de 1996 o CEO, comemorando o Dia Nacional da Ave, promoveu o evento: “Observando as aves de outubro”. Diversas equipes observaram aves em áreas verdes da Cidade de São Paulo e no final da manhã se encontraram no Parque da Água Branca, para a consolidação dos dados. No sábado anterior, dia 28 de setembro, o CEO promoveu no Parque da Água Branca um “encontro preparatório” para estas equipes, onde foram comentados diversos aspectos da observação de aves e apresentado um audio-visual de aves da Cidade de São Paulo. O “Observando as aves de outubro” contou com a cobertura de diversos órgãos da Imprensa entre os quais a TV Bandeirantes, TV Record, Diário Popular, Jornal da Lapa.

 

Em 11 de abril de 1997, Maria Thereza Temperini, associada do CEO, colaborando com a associação WWF, apresentou o vídeo dessa entidade "Tráfico de animais silvestres" para alunos do segundo grau da Escola Estadual Caetano de Campos.

 

Em maio de 1997 o CEO, baseado em iniciativas individuais que vinham sendo desenvolvidas por alguns de seus associados, decidiu pelo lançamento da Campanha Permanente “Lugar de animal silvestre é na natureza”, que visa desestimular o gosto pela manutenção de animais silvestres como animais de estimação. As principais estratégias da Campanha são:

1- Atuação junto às instâncias legisladoras no sentido de uma regulamentação adequada desta prática.

2- Denúncias aos órgãos responsáveis das situações de animais silvestres em cativeiro em condições

ilegais.

3- Acompanhamento, esclarecimento e orientação da Imprensa, visando que esta não divulgue matérias que estimulem a prática da manutenção de animais silvestres em cativeiro como animais de estimação e, por outro lado, divulgue atitudes saudáveis de contemplação da natureza.

4- Educação ambiental: instrumentalizar com as idéias da Campanha entidades e instituições que trabalham com educação ambiental. Divulgação na Imprensa as idéias da Campanha.

5- Propostas de alternativas saudáveis de contemplação da natureza: divulgar práticas de contemplação e usufruto da natureza que não impliquem em danos à biodiversidade, tais como o “Programa Jardim Ecológico”, a “Observação de Aves”, os programas de reintrodução de espécies na natureza, etc.

 

Em julho de 1997 o CEO deu início à realização de Excursões Científicas, destinadas ao registro da avifauna e das condições de preservação de áreas naturais a serem visitadas por grupos de associados.

 

No dia 6 de setembro de 1997, membros do CEO foram convidados para ministrarem a palestra “Como atrair aves para um Jardim Ecológico”, para um grupo de 19 pessoas moradoras do bairro de Santa Clara, no Município de Jundiaí, a convite da Sociedade de Amigos de Santa Clara, Vargem Grande, Caguaçu e vizinhanças.

  

Em maio de 1998 iniciou-se a publicação periódica do Clipping do CEO, um boletim destinado a ser distribuido via correio a todos os associados, com informações diversas sobre aves e meio ambiente, e também sobre as atividades da entidade. A publicação do Clipping em papel foi interrompida com o advento da internet, quando passou a ser veiculado por essa via.

  

Em 25 de agosto de 1998 o CEO recebeu do Sr. Ivan Russeff, Gerente de Cultura da Prefeitura Municipal da Estância Climática de Ribeirão Pires, SP, solicitação de colaboração tendo em vista o "fato de o município estar em processo de formulação de uma ampla política de proteção e educação ambiental, iniciativa indispensável a uma região, como a nossa, de ricos mananciais e de área significativa ainda coberta pela Mata Atlântica e frequentada por grande número de espécies de pássaros". Em atenção a esta solicitação, o CEO realizou visitas ao município, compilando uma lista provisória de aves do Parque Municipal Milton Marinho de Moraes e elaborando o projeto "Observando aves em Ribeirão Pires"

 

No dia 20 de setembro de 1998 o CEO promoveu no Parque da Água Branca em São Paulo o 1º Encontro dos Jardineiros Ecológicos, destinado a congregar os adeptos da prática do Jardim Ecológico. Participaram 20 "jardineiros ecológicos" que assistiram a duas palestras: "Como fazer um Jardim Ecológico", ministrada por Luiz Fernando de A. Figueiredo e “Como socorrer animais silvestres acidentados ou doentes” e “Problemas com animais domésticos na cidade e com animais silvestres em casa”, ministradas por Angela Spuni, Diretora da Divisão de Veterinária e Manejo da Fauna do DEPAVE da Prefeitura de São Paulo.

 

Em outubro de 1998 o CEO participou do Festival Mundial das Aves e da Contagem Mundial das Aves da NTT, realizando o evento local "Observando as aves de Outubro", no dia 18 de outubro, quando 16 observadores de aves, registraram 90 espécies de aves. Para a Contagem Mundial das Aves, realizada durante todo o mês de outubro foram registradas 185 espécies de aves.

 

Em janeiro de 1999 foi concluído o relatório do Projeto Levantamento da Avifauna da Estação Experimental de Itapetininga, iniciado em fevereiro de 1997, dentro da proposta do Projeto Aves Ameaçadas do Estado de São Paulo. Foram detectadas no levantamento 172 espécies de aves. Também foram registradas as condições de preservação da área e encaminhada propositura de transformação das áreas naturais da Estação em Reserva Ecológica, o que garantiria melhores condições de preservação da área.

 

Em 1999 membros do CEO realizaram o levantamento da avifauna da EMAE - Empresa Metropolitana de Águas e Energia, do Governo do Estado de São Paulo, município de São Paulo, atendendo solicitação da Empresa, com a detecção no local de 67 espécies.

 

Nos dias 20 e 21 de maio de 2000, cinco membros do CEO realizaram uma visita à Estação Ecológica de Paranapanema, da Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo, a pedido de seu administrador, para a realização de observação e identificação de aves, como contribuição ao processo de elaboração do Plano de Manejo desta unidade de conservação. Foram identificadas 97 espécies.

 

De abril de 1999 a setembro de 2000, uma equipe do CEO realizou o levantamento da avifauna do Parque Estadual Juquery, situado no município de Franco da Rocha, São Paulo, e subordinado ao Instituto Florestal da Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo. O relatório final, intitulado "Levantamento da avifauna do Parque Estadual Juquery, Franco da Rocha, São Paulo: uma avaliação auto-crítica das técnicas de campo para inventários ornitológicos", foi .apresentado no VIII Congresso Brasileiro de Ornitologia (Florianópolis, 9 a 14 de julho de 2000), promovido pela Sociedade Brasileira de Ornitologia e está publicado no Boletim CEO Nº 14.

 

Em 25 de setembro de 2000 o CEO iniciou, atendendo solicitação, uma colaboração técnico-científica ao Projeto "Avifauna da APA Ibirapuitã", desenvolvido por acadêmicos do Curso de Ciências Biológicas da Universidade da Região da Campanha, Campus Universitário de Alegrete, RS, referente principalmente à identificação de aves.

 

Em novembro de 2000, o CEO, representado por Luiz Fernando de A. Figueiredo, colaborou com os trabalhos do “Projeto de Educação Agroambiental para o Desenvolvimento Rural Sustentável”, da EMBRAPA – Meio Ambiente, com sede em Jaguariúna SP, do que resultou a publicação dos cinco volumes da série "Educação Ambiental para o Desenvolvimento Sustentável".

 

No dia 10 de abril de 2003, Luiz Fernando de A. Figueiredo, representando o CEO, acompanhou um grupo de 30 pessoas ao SESC Interlagos, no passeio promovido pelo SESC Paraíso, especializado em Turismo Social, dentro do programa DiverSãoPaulo. Foram ministradas duas palestras abordando o tema observação de aves e aves comuns da cidade de São Paulo e os participantes fizeram passeios pela área para observação das aves.

 

Em julho de 2003, representado por cinco membros, o CEO colaborou com o projeto “Monitoramento do Papagaio-de-cara-roxa (Amazona brasiliensis) no Estado de São Paulo”, participando da contagem destas aves na Ilha de Cananéia, no litoral sul do estado. O projeto e coordenado por Mauro Galetti, do Laboratório de Biologia e Conservação, UNESP, Rio Claro e Stuart Marsden, da Manchester Metropolitan University, Inglaterra. Visa mapear os locais de nidificação, dormitório, alimentação e outros, visitados por estas aves. Concomitantemente serão realizados censos, visando identificar os locais onde estão as maiores populações, locais de nidificação e suas ameaças, permitindo propor a criação de novas Unidades de Conservação.

 

Em 4 de novembro de 2004 o CEO integrou-se como colaborador do Projeto Pomar, da Secretaria de Estado de Meio Ambiente de São Paulo, que visa promover o paisagismo e recuperação da vegetação das margens dos rios Pinheiros e Tietê, na cidade de São Paulo. Para isto o CEO elaborou e iniciou as atividades do Projeto Aves do Projeto Pomar, que visa o monitoramento da avifauna das áreas de atuação do Projeto Pomar.

 

Em fevereiro de 2006 o CEO iniciou sua participação no Censo Neotropical de Aves Aquáticas, promovido pela Wetland International. Veja relatório dessa etapa e das subsequentes, no site do CEO:  http://www.ceo.org.br/censo/censo.htm

Em 2006, o CEO recebeu solicitação de fazer o levantamento das aves que ocorrem nos jardins do Palácio dos Bandeirantes, no bairro do Morumbi, São Paulo. Nesse ano e no seguinte foi realizado um levantamento preliminar. Veja o relatório.

Em 5/8/2006 o CEO realizou, sob a incumbência de Luiz Fernando de A. Figueiredo, uma palestra sobre observação de aves no Zoológico de Guarulhos, atendendo convite da bióloga Cristiane Bolochio.

 

Em março de 2007, no sentido de colaborar com ações voltadas para a observação de aves na cidade de São Paulo, o CEO encaminhou ao Secretário de Verde e Meio Ambiente do Município de São Paulo o projeto Aves Paulistanas com sugestões de estratégias de incentivo e acolhimento dos novos observadores de aves.

 

Em 2008 o CEO iniciou atividades em colaboração com o Parque Esportivo do Trabalhador, em São Paulo, visando estimular a prática da observação de aves pela população visitante do parque. Já foi realizada uma palestra no parque, com o tema: "Observando e atraindo aves para os jardins, quintais, sacadas e janelas." Também tem colaborado com o registro das aves que ocorrem nessa área, que já foi parcialmente publicada no Diário Oficial da Cidade de São Paulo. Veja: Parte 1, Parte 2.

 

Em 2008 o CEO promoveu algumas atividades na Vila de Paranapiacaba, município de Santo André, relacionadas com a observação de aves. Em 14 de junho de 2008 foi ministrada, no Teatro Lyra, por Luiz Fernando de A. Figueiredo, a palestra: "Aves de Paranapiacaba: breve história de seu reconhecimento", seguida de apresentação por Arthur Macarrão de um áudio-visual com espécies de aves existentes na região. Também foi apresentado um DVD com filmagens de aves no Parque Ecológico do Tietê, por Gilberto Lima.

 

Em 2009 o CEO iniciou atividades em colaboração com a Secretaria de Meio Ambiente da Prefeitura de Ribeirão Pires, visando o estímulo à população desse município para a prática da observação de aves, bem como atrair observadores de aves de outros municípios.

 

 

 

 

 

Em 29 de setembro de 2009 o CEO completou 25 anos.

 

 

Em 2010, representado por Luiz Fernando de Andrade Figueiredo, o CEO contribuiu com a identificação e textos sobre as aves, para o livro Um Olhar Fotográficos Sobre as Aves Brasileiras, com fotos de Carlos von Wieser, publicado pela empresa Plenarte.

 

Nos dias 14 a 16 de maio de 2010 o CEO participou do Avistar Brasil, com um estande. Nesse evento o CEO apresentou três painéis, relatando atividades da entidade: "DVD Aves do CEO", "Levantamento da avifauna nas áreas militares" e "Participação do CEO no Censo Neotropical de Aves Aquáticas". Nessa oportunidade, Daniel Abicarir e Gilberto Correa da Rocha Lima apresentaram em palestra o DVD "Aves do CEO".

 

No dia 19 de junho de 2010, representado pelo Primeiro Secretário, Luiz Fernando de Andrade Figueiredo, o CEO participou da "Ação Verde no PET!", organizado em parceria entre a Secretaria Municipal de Esportes, Lazer e Recreação e o Departamento de Gestão Descentralizada Leste 2 (DG Leste 2) da Secretaria do Verde e Meio Ambiente da Prefeitura de São Paulo, com a apresentação da palestra "História do reconhecimento da avifauna na cidade de São Paulo".

 

No dia 20 de junho de 2010 o CEO iniciou um trabalho de colaboração com a Secretaria de Meio Ambiente de Embu, visando realizar o levantamento da avifauna da APA Embu Verde.

 

No dia 28 de abril de 2011 o CEO propos a instituição do Dia do Observador de Aves, sugerindo atividades a serem desenvolvidas comemorando a data.

 

No dia 28 de maio de 2011 o CEO participou do IV Ciclo de Palestras – Atividades em Montanha, na Abertura da Temporada de Montanha do Pico dos Marins e Região, no Acampamento Base Marins, Piquete, SP, com uma palestra ministrada por Luiz Fernando de A. Figueiredo com o tema "A observação de aves: esporte, lazer, ciência e arte”.

 

No dia 4 de junho de 2011 o CEO colaborou com as programações da Semana do Meio Ambiente em Ribeirão Pires, com uma palestra sobre a observação de aves, ministrada por Luiz F. de A. Figueiredo no Parque Municipal Milton Marinho de Moraes.

 

 

No dia 5 de junho de 2011, comemorando o Dia do Meio Ambiente, o CEO promoveu o evento "Fotografando as aves do Clube de Campo da Associação Paulista de Medicina", situado na Serra da Cantareira, no município de Caieiras. Participaram 12 pessoas, entre membros do CEO e convidados, que percorreram algumas trilhas e fotografaram diversas espécies das aves, para serem postadas no site Wikiaves.

 

 

No período de 23 a 26 de junho de 2011, em parceria com o parque Estadual de Intervales, o CEO realizou a 1ª Expedição ao Parque Intervales – Núcleo Saibadela. Com a participação de 11 membros do CEO e 2 guias ornitológicos do parque, foram registradas 174 espécies. Como desdobramentos dessa primeira visita foi realizada uma exposição das fotos no restaurante do Parque, visando atrair o interesse dos turistas para as aves, e elaborado um plano de treinamento dos monitores locais, direcionado à observação de aves, a ser organizado e ministrado pelo CEO.

No dia 28 de julho de 2012, Luiz Fernando de Andrade Figueiredo, representando o CEO, ministrou palestra sobre a observação de aves para moradores do condomínio Porta do Sol, em Mairinque, SP, atendendo solicitação do diretor de Meio Ambiente desse condomínio, Gabriel Bitencourt, dentro das comemorações de 40 anos do condomínio. Após a palestra foi feito um passeio de campo pelas áreas verdes do local, para observação de aves.

No dia 27 de abril de 2013 o CEO promoveu uma reunião de apresentação do livro Lepidoptera: Borboletas e Mariposas do Brasil, com fotos de Almir Candido, no sítio Cantos da Mata, em Mogi das Cruzes.

No dia 28 de abril de 2013 o CEO comemorou o Dia do Observador de Aves com um passeio pela Avenida Paulista, em São Paulo e observação de aves no Parque Mário Covas, Parque Tenente Siqueira Campos e Trianon. Veja.

 

De 6 a 17 de maio de 2013 o CEO promoveu em parceria com o CRECI - Centro de Referência da Cidadania do Idoso, uma exposição com fotos e informações sobre dez espécies de aves comuns do Centro de São Paulo, com a curadoria de Luiz Fernando de Andrade Figueiredo. No dia 13 de maio Luiz Fernando ministrou uma palestra sobre a observação de aves para os frequentadores do CRECI. Veja o release.

 

Em 13 de agosto de 2013, atendendo solicitação da UMAPAZ (Universidade Livre para o Meio Ambiente e Cultura de Paz, da Secretaria do Verde e do Meio Ambiente da Prefeitura de São Paulo), foi realizada palestra por Fabio Ferrão Videira, Segundo Secretário do CEO, a respeito do Projeto “Levantamento de Aves em Áreas Militares”. O palestrante ressaltou que as áreas militares, por serem áreas de segurança máxima, inviabilizam trabalhos de pesquisa no contexto ambiental por órgãos públicos e privados, tornando-se lacunas nesse aspecto, a despeito de manterem, em sua maioria, grandes áreas preservadas. Destacou que o Projeto tem permitido o conhecimento e divulgação para a sociedade em geral e científica da riqueza da avifauna presente nessas áreas, contribuindo também para o melhor conhecimento da avifauna dos municípios envolvidos e estado. Informou que o Projeto já inventariou 14 áreas, pertencentes ao Exército, à Aeronáutica e a Polícia Militar do Estado de São Paulo, situadas nas cidades de São Paulo, Guarulhos, Sorocaba, Guaratinguetá, Pirassununga e Guarujá. Foram detectadas 21 espécies constantes na lista oficial de aves consideradas ameaçadas de extinção no Estado de São Paulo.

 

Em 4 de outubro de 2013, atendendo convite da Divisão Técnica de Medicina Veterinária e Manejo da Fauna Silvestre, do Departamento de Parques e Áreas Verdes da Prefeitura de São Paulo, integrantes do Centro de Estudos Ornitológicos (CEO) ministraram palestra no auditório da Escola de Astrofísica, no Parque Ibirapuera, durante o Mini Curso de Observação de Aves promovido pelo DEPAVE-3. Luiz Fernando de Andrade Figueiredo apresentou o tema "Histórico e Projetos do Centro de Estudos Ornitológicos" e o biólogo Fábio Ferrão Videira apresentou o "Levantamento de Aves em Áreas Militares".

 

Em 12/4/2014, em reunião no Núcleo Cabuçu do Parque Estadual da Cantareira, tendo como representante da SAVE Brasil, Tatiana Pongiluppi Souza, também associada do CEO, foi aprovada participação do CEO no "Programa de Registros e Monitoramento Participativo das Aves Brasileiras como Ferramenta para a Conservação", que tem apoio da Fundação Grupo Boticário. O CEO a observação e monitoramento da avifauna em três Núcleos do Parque Estadual da Serra da Cantareira: Pedra Grande, Engordador e Cabuçu. Cada núcleo será visitado uma vez em cada estação do ano. O objetivo fundamental do programa é utilizar a atividade de observação de aves como instrumento para o monitoramento da avifauna em áreas de particular interesse para a conservação, seguindo o conceito de “Cidadão Cientista”.

De 15 a 17 de agosto de 2014, representantes da Save-Brasil compareceram a um encontro na Reserva Natural de Salto Morato, da Fundação Boticário de Poteção à Natureza, situada no município de Guaraqueçaba, estado do Paraná, para apresentarem resultados do Programa de Monitoramento Participativo de Aves Como Ferramenta para Conservação para um grupo de observadores de aves. A programação contou também com observações de aves na Reserva. As saídas de observação tiveram como foco a aplicação do monitoramento participativo de aves. O CEO esteve presente, representado por Claudia Oliveira, que apresentou a participação da entidade no Programa, com os levantamentos em curso no Parque Estadual da Cantareira.

Agachados, no meio Tatiana Pongiluppi da SAVE Brasil e à direita Claudia Oliveira.

 

 

 

Em 6 e 7 de setembro de 2014 deu-se início o projeto em colaboração com o Parque Estadual Intervales, visando a formação de guias de observação de aves, tendo como público alvo jovens moradores da região do entorno do Parque.

 

 

No dia 1 de novembro de 2014, realizou-se Assembléia Geral para eleição de nova Diretoria do CEO. Abrilhantando o evento, Gustavo Pinto ministrou palestra com o tema "Monitoramento do Asio flammeus (mocho-dos-banhados) em Americana", onde relata o trabalho e pesquisa visando preservar um grupo dessa espécie de coruja na área urbana daquele município.

 

 

No dia 4/12/2014 três membros do CEO visitaram o menor Raí, que foi integrado ao programa Jovem Observador de Aves do CEO. 

 

 Nos dias 30 e 31 de maio de 2015, a convite da Associação dos Amigos da Estação Ecológica Olavo Amaral Ferraz (Estação Ecológica Caetetus), em Lupércio, São Paulo, o CEO, representado por Tietta Pivatto e Fred Dentello apresentaram um minicurso de observação de aves, incluindo uma visita à Estação Ecológica. Os participantes do curso manifestaram a intenção de organizarem grupos para saídas para observação de aves nos municípios do entorno da Estação Ecológica.

 

Em maio de 2015 o CEO participou com um estande no evento Avistar Brasil. Nesse evento, membros do CEO manifestaram duas palestras com temas de projetos do CEO: o trabalho de apoio à preservação do Tanquâ (Piracicaba, SP) e o projeto Protegendo os Caboclinhos.

 

 

Em agosto de 2015, dando continuidade ao projeto de formação de guias de observação de aves no Parque Estadual Intervales foi realizada nova atividade, com a participação dos jovens que manifestaram interesse na continuidade do processo, quando tivermos a participação de 21 jovens, tendo boa parte deles um ótimo potencial a ser desenvolvido. No primeiro dia foi feita uma reciclagem no tema identificação de aves com uso de guias de campo (Luiz Fernando), biologia das aves e sua relação com o ambiente e conservação (André Ricardo) e comportamento e situações inusitadas na observação de aves (Luciano Monferrari).

No segundo dia foi realizada um passeio por trilhas do Parque observando as aves e trabalhando  com os guias de campo, estimulando os treinandos a observarem com binóculos e comparando a ave avistada com o guia de campo.

A TV Tem (Rede Globo local) estava no dia fazendo uma matéria com o Parque Intervales e mostrou em sua matéria o trabalho de formação de guias. As partes da matéria referentes a essa atividade podem ser vistas nos links a seguir:

 

Entrevista com André Ricardo.

Atividades dos jovens observadores.

 

Em 12 e 13 de março de 2016, uma equipe do CEO realizou no Núcleo Guapiruvu do Parque Estadual Intervales, nova etapa do Projeto Educacional em parceria com o Parque, visando treinar jovens do seu entorno serem guias de observação de aves.

 

Em 27 de abril de 2016, Luiz Fernando de Andrade Figueiredo, representando o CEO, participou do curso "Introdução à Observação de Aves", promovido pelo Parque Estadual Juquery, ministrando a palestra "Uma experiência de treinamento de jovens da comunidade local para serem guias de observação de aves no Parque Estadual Intervales, nos núcleos Sede, Saibadela e Guapiruvu".

 

 

No dia 30 de abril de 2016, com apoio do Museu de Zoologia da USP, o CEO promoveu o encontro "Tributo a Rolf Grantsau", homenageando assim esse notável naturalista, membro honorário do CEO. Entre os presentes estava Ilse Grantsau, viúva de Rolf. Os manifestantes foram Luiz Fernando de Andrade Figueiredo, Primeiro Secretário do CEO, Luís Fábio Silveira, curador da coleção Ornitológica do Museu de Zoologia a USP e Pedro Cerqueira Lima, da Universidade Federal da Bahia.

 

 

 

Nos dias 20, 21 e 22 de maio de 2016 o CEO participou do Avistar 2016, no Instituto Butantan, onde manteve um estande para divulgação da entidade e de seus projetos. Foi escolhido como tema principal o Projeto Caboclinho, que visa estimular a proteção de áreas remanescentes de habitat, propícias para a sobrevivência dessas espécies. Foi também apresentado um painel demonstrativo da atividade em parceria com o Parque Estadual Intervales, que visa treinar guias de observação de aves, tendo como público alvo crianças e jovens das comunidades do entorno do Parque.

 

 

No dia 26 de novembro de 2016, representando o CEO, Luiz Fernando de Andrade Figueiredo participou do 1º Avistando - Seminário de Observação de Aves de Guararema, ministrando a palestra: "Como atrair aves para os jardins, quintais, sacadas e janelas". O Seminário ocorreu no Núcleo de Educação Ambiental (NEA) Sinhô Muniz, na Ilha Grande e foi organizado pela secretaria municipal de Meio Ambiente e Planejamento Urbano e secretaria de Indústria, Comércio, Turismo e Agricultura, da Prefeitura de Guararema. O evento destinou-se à promoção da prática da observação de aves no município.

 

No dia 11 de fevereiro de 2017 o CEO promoveu palestra com o tema: "Projeto Jardins da Arara de Lear, Compartilhando um pouco da experiência no Sertão", ministrada por Pierre Jimenez Alonso (Anfiteatro Ernesto Marcus, do Instituto de Biociências da USP).

 

Nos dias 19, 20 e 21 de maio de 2017 o CEO participou com um estande no Avistar 2017, no Instituto Butantan. O tema do estande foi a atração de aves. Foi apresentada a "Roleta das corujas", em que os participantes tiveram que identificar 12 espécies de corujas, a partir de suas fotos. As pessoas que acertaram os nomes de todas as corujas participaram do sorteio de uma caixa ninho para corujas. Também foram vendidos no estande o Bebedouro do CEO.

Nos dia 10 e 11 de junho de 2017 o CEO realizou excursão ao PE Intervales e nessa oportunidade promoveu nessa Unidade de Conservação a palestra "Ninhos: conhecimento e conservação", ministrada por Dante Buzzeti. Participaram da palestra, além dos associados do CEO, jovens participantes do treinamento de guias de observação de aves e professores das escolas do bairro vizinho ao PE Intervales.

 

 

O CEO é colaborador e do CBRO - Comitê Brasileiro de Registros Ornitológicos, desde a constituição desse Comitê.

 

RELAÇÃO DOS CURSOS MINISTRADOS PELO CEO

 

1- Em parceria com o Centro de Educação Ambiental do Departamento de Parques e Áreas Verdes da Secretaria

de Serviços e Obras da Prefeitura do Município de São Paulo, realizados no Parque Previdência:

 

Primeiro Curso: dia 5 de outubro de 1985 (coordenado por Sérgio Luiz Pompéia e Luiz Fernando de A. Figueiredo);

 

Segundo Curso: de 28/9, 5/10, 12/10 e 19/10 de 1986, aos domingos (coordenado por Luiz Fernando de A. Figueiredo, Sumiko Honda e Maria Marta Argel-de-Oliveira). Teve a presença de aproximadamente 70 pessoas;

 

Terceiro Curso: dia 6 de junho de 1987;

 

Quarto Curso: dia 27 de setembro de 1987.

 

2- Em parceria com o Grupo Mitos e Lendas, com apoio da Divisão de Extensão Cultural do Instituto Butantan, no Auditório do Museu do Instituto Butantan: Dias 23 e 30 de novembro de 1991.

 

3- Em parceria com a prefeitura da Estância Turística de Embu das Artes, foram realizados na Biblioteca Municipal, 4 cursos em 1994 e 1 curso em 1995. Veja fotos. Também foi produzido, com apoio dessa prefeitura o Guia para Aves Comuns nas Áreas Urbanas da Região Metropolitana de São Paulo.

4- Em parceria com a Associação Mata Ciliar, na Escola Técnica Agrícola Estadual Benedito Storani, em Jundiaí, São Paulo, com a participação de 15 pessoas. Dias 26 e 27 de abril de 1997.

 

Na Escola Técnica Agrícola Estadual Benedito Storani, em Jundiaí, São Paulo, dia 27 de setembro de 1997, de 9 às 12 horas e de 14 às 16 horas, dentro das comemorações da Semana do Técnico Agrícola e dos 50 anos da Escola. Número de participantes: 31 alunos da Escola.

 

5- Em parceria com o Centro de Educação Ambiental do Parque Previdência, da Secretaria do Verde e Meio Ambiente da Prefeitura de São Paulo, com a participação de 10 pessoas. Dias 5, 6 e 11 de outubro de 1997.

 

6- Em 30 de setembro de 2000, na EMAE - Empresa Metropolitana de Águas e Energia, para funcionários, familiares e convidados destes, com a participação de 10 pessoas.

 

7- Em 18 de agosto de 2001, no Parque Ecológico do Tietê, com a colaboração da Administração do Parque Ecológico do Tietê.

 

8- Em 6 de outubro de 2001, no Parque da Água Branca, com apoio da Administração do Parque da Água Branca e da Associação dos Amigos Ambientalistas do Parque da Água Branca.

 

9- Em 18 de setembro de 2004, na Sede Campestre da Associação Paulista de Medicina, Caieiras, SP, com a participação de 14 pessoas. Ministrado por Luís Fábio Silveira e Luiz Fernando de A. Figueiredo. Veja fotos.

 

10- Em 5/8/2006 no Zoológico de Guarulhos.

 

11- Em 29 e 30 de maio de 2010, na sede da ASSAMAPAB, Associação dos Amigos Ambientalistas do Parque da Água Branca, no Parque Dr. Fernando Costa (Parque da Água Branca) com a participação de 11 pessoas. Veja mais informações.

 

12 - Em 28 de julho de 2012, para moradores do condomínio Porta do Sol, Mairinque, SP, atendendo solicitação do diretor de Meio Ambiente desse condomínio, dentro das comemorações de 40 anos do condomínio.